O empréstimo consignado para usuários do programa Auxílio Brasil só será liberado entre os meses de agosto e setembro. É com este prazo que o Governo Federal trabalha para a liberação do crédito. A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo, em sua edição desta quinta-feira (28). O Planalto ainda não confirma datas.

Segundo o jornal, o plano do Governo Federal é atrasar a liberação do crédito ao máximo para colocar o dinheiro nas mãos dos cidadãos em uma data mais próxima das eleições deste ano. O pleito presidencial deve acontecer no mês de outubro. Internamente, o Planalto acredita que se os pagamentos acontecessem agora, as pessoas esqueceriam dele na hora do voto.

Oficialmente, o Governo Federal não confirma e nem nega a estratégia. Em tese, o consignado do programa Auxílio Brasil está oficialmente liberado, visto que a Medida Provisória (MP) já foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Além disso, o texto também já virou lei após a aprovação do documento no Senado Federal e na Câmara dos Deputados.

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

O que falta agora é a regulamentação por parte do Ministério da Cidadania. É justamente nesta etapa que o Governo Federal define as regras básicas do consignado, como a taxa de juros, por exemplo. Os maiores bancos do país afirmaram em nota que aguardam estes dados para começar a oferecer o consignado. Até lá, ninguém consegue fazer nada.

O consignado do Auxílio Brasil funcionará basicamente da mesma forma que o crédito já funciona para os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O cidadão solicita um dinheiro, recebe o montante, e depois precisa pagar a quantia na forma de descontos mensais de até 40% no seu benefício, até que consiga quitar a dívida por completo.

O medo do endividamento

Se, por um lado, o Governo Federal recebe críticas pela demora em liberar o consignado do programa Auxílio Brasil, por outro, há quem defenda que o crédito não deveria ser liberado em nenhum momento.

Algumas organizações da sociedade civil já lançaram documentos oficiais pedindo que a MP que cria o crédito não seja aprovada. Eles argumentam que a liberação do consignado para um público mais vulnerável pode acabar tendo um efeito inverso nas contas dessas pessoas.

Existe o temor de que os usuários solicitem o dinheiro para o Governo Federal apenas para pagar as contas emergenciais do mês, ou comprar itens básicos como comida, ou material de limpeza e de higiene pessoal.

O problema é que as contas chegam nos meses seguintes, e as pessoas que pediram o consignado, passarão a receber menos no Auxílio Brasil justamente por causa dos descontos. Assim, elas seguirão com as mesmas dívidas, mas com menos dinheiro para conseguir acabar com elas.

Além do consignado

No final das contas, a decisão sobre solicitar ou não o dinheiro do consignado do Auxílio Brasil é sempre do usuário. A principal dica é analisar a sua situação financeira, para saber o que você faria exatamente com a quantia.

Normalmente, o consignado é indicado para pessoas que precisam usar o dinheiro para se livrar de uma grande dívida, ou mesmo para conseguir comprar um material de trabalho, que garanta o retorno do saldo de alguma forma.

Fonte: noticiasconcursos.com.br