Pular para o conteúdo

Publicidade


Publicidade

Será obrigatório fazer atualização cadastral do Bolsa Família? Acesse e veja se será obrigatório


    Publicidade

    Desde o início do mandato do presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) a sua equipe ligada a área social já havia informado que existia interesse em fazer uma averiguação no Cadastro Único. A ideia é excluir pessoas que estão com dados desatualizados, e não cumprem mais com os critérios para receber os benefícios sociais. Esse público deverá fazer a atualização cadastral do Bolsa Família. 

    De acordo com o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social (MDS), de março a dezembro desse ano vai acontecer o processo de atualização cadastral do Bolsa Família. A ideia é de que nesse período sejam identificados aqueles que não cumprem mais com os critérios de renda e acesso ao programa social. Em março, por exemplo, pelo menos 1,4 milhões de famílias serão desligadas. 

    O ministro do MDS, Wellington Dias, informou que já foram encontrados indícios de irregularidades em pelo menos 2,5 milhões de beneficiários. Daí o interesse de fazer com que eles deixem de ser beneficiados pelo Bolsa Família. Com esse desligamento é possível conseguir espaço para beneficiar novas turmas.

    m março, por exemplo, quase 700 mil famílias farão parte do Bolsa Família, isso depois de outras que não cumprem mais com os critérios de renda terem sido desligadas. Outro ponto importante da atualização cadastral do Bolsa Família é conseguir identificar quem compõe aquele grupo, se terão direito de receber bônus para crianças, adolescentes e gestantes.

    Bolsa Família 2023: Como e onde fazer a inscrição

    Atualização cadastral do Bolsa Família

    Abaixo, listamos as principais informações sobre o funcionamento da atualização cadastral do Bolsa Família.

    Quem precisará passar pela atualização cadastral?

    De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, todas as 21 milhões de famílias contempladas pelo Bolsa Família terão que fazer esse processo. Para isso, precisarão agendar o atendimento no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social).

    A atualização cadastral do Bolsa Família já começou no CRAS?

    Sim, mas nem todos precisam se dirigir a uma unidade agora. A recomendação é aguardar o comunicado do CRAS solicitando que o representante familiar compareça até a unidade. Antes disso a orientação é aguardar, e não ir até o local de atendimento por conta própria.

    E se o CRAS do município não conseguir atender a todos?

    Os beneficiários podem ficar tranquilos. De acordo com o governo federal foram contratados mais 12 mil funcionários para atuar nessas unidades e reforçar o corpo de atendentes de cada município. Dessa forma, ninguém será prejudicado pela falta de profissionais.

    Como vai acontecer a atualização cadastral do Bolsa Família

    Ao comparecer até a unidade do CRAS, o cidadão vai informar todos os dados pessoais e de renda da sua família. Inclusive o quanto recebem por mês, qual essa fonte de renda, e quais os seus gastos. Por exemplo, o valor do aluguel, a média que é gasto com água e luz. E o quanto recebe por alguma atividade informal, por pensão alimentícia, e etc.

    Feito isso, quem não cumprir com os critérios de renda (limitado a R$ 218 por pessoa no mês) será automaticamente excluído. Para quem cumpre com os limites nada vai mudar.

    E se o beneficiário não for até o CRAS?

    Caso seja convocado, mas não compareça ao CRAS, o cidadão e sua família terão o Bolsa Família bloqueado em até dois meses. Por exemplo, se o beneficiário for convocado em março e não comparecer, o benefício será bloqueado a partir de maio.

    Corro o risco de perder a ajuda antes de ser convocado para atualização cadastral do Bolsa Família?

    Não! De acordo com o governo federal todos os grupos continuam recebendo normalmente até que sejam convocados para a atualização cadastral e comprovem se têm direito ou não ao pagamento do auxílio.

    Quem está recebendo o Bolsa Família de forma indevida?

    Para o governo federal e conforme análises do MDS, são considerados como irregulares dentro do Bolsa Família aqueles que têm renda por pessoa superior ao limite de R$ 218. Além de pessoas que não atualizam seus dados cadastrais a mais de dois anos. O foco principal dessa busca é por famílias unipessoais, compostas por uma única pessoa.

    Fonte: Lila Cunha/ fdr.com

    Aguarde um momento…

    0