O Presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre o novo Bolsa Família. Desta vez, ele decidiu confirmar a data de estreia do programa. De acordo com o chefe do executivo, o projeto deve mesmo fazer os seus primeiros pagamentos a partir do próximo mês de novembro.

Segue portanto aquela lógica que o Governo vinha defendendo há alguns meses. O Bolsa Família vai entrar em cena um mês depois do fim do Auxílio Emergencial. Isso apontaria portanto para o próximo mês do novembro. Bolsonaro, no entanto, evitou dar mais detalhes sobre esta situação.

Vale lembrar que nos últimos dias, o novo Bolsa Família estava acumulando mais dúvidas do que certezas. O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Auxílio Emergencial poderia passar por uma segunda prorrogação. Na visão dele, isso pode acontecer se a pandemia do novo coronavírus não der uma trégua no Brasil.

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

A fala do Ministro acabou jogando dúvidas sobre o Bolsa Família. Principalmente porque se entende que o Governo só poderia apresentar o programa novo até o final deste ano. É que de acordo com as leis eleitorais, o Planalto não pode apresentar projetos como estes em ano de eleições presidenciais.

Então se o Auxílio pode passar por uma segunda prorrogação, o que seria do Bolsa Família? Essa era portanto uma das principais dúvidas em relação ao tema. De qualquer forma, o Presidente Jair Bolsonaro disse que a ideia é começar mesmo os pagamentos do novo projeto a partir do próximo mês de novembro.

Bolsonaro

“Prorrogamos por mais três meses o auxílio. Pretendemos em novembro já ter o novo Bolsa Família, e o valor será, no mínimo, R$ 300. Hoje em dia, a média do Bolsa Família equivale a R$ 192, e vamos passar isso para R$ 300. É um pouco mais de 50% de reajuste”, disse o Presidente na última segunda (19).

Esta fala de Bolsonaro acabou repercutindo muito dentro do Palácio do Planalto e do Ministério da Economia. É que agora ele não disse que a média de pagamentos do Bolsa Família será de R$ 300. Ele disse que o valor mínimo será de R$ 300.

E isso muda todo o planejamento do Ministério. De acordo com interlocutores, Bolsonaro apenas se confundiu com as palavras e segue achando que a média deve ser de R$ 300, e não o valor mínimo. De qualquer forma, o Presidente ainda não se pronunciou sobre isso.

Além do Bolsa Família

Recentemente, o Governo Federal anunciou a prorrogação do Auxílio Emergencial por mais três meses. Com isso, o programa deve durar até o próximo mês de outubro, e não mais até julho, como estava previsto anteriormente.

Apesar da prorrogação, o Governo segue dizendo que não pode aumentar os valores do benefício. De acordo com o Ministério da Cidadania, cerca de 37 milhões de pessoas recebem o benefício que varia entre R$ 150 e R$ 375.

De acordo com o Palácio do Planalto, um aumento nesses montantes poderia acabar em um colapso nas contas públicas. É basicamente a mesma preocupação que eles estão tendo também com os gastos no novo Bolsa Família.

Fonte: Notícias Concursos