Pular para o conteúdo

Bolsa Família: Pode-se ter aproximadamente 2,5 milhões de registros fraudulentos

    O ministro do Combate à Fome, Desenvolvimento Social e Família, Wellington Dias (PT), disse que nesta segunda-feira (16/01/2023), que existe aproximadamente 10 milhões de famílias que terão que se recadastrar no Bolsa Família, mas essa prioridade do Governo será de 2,5 milhões de casos “indicando problemas” no programa social.

    “Começaremos com 2,5 milhões de famílias com mais sinais de problemas, depois passaremos para 10 milhões para preencher as informações que faltam nos registros. Estamos cruzando dados para iniciar novos cadastros (recadastramentos) em fevereiro”, disse Wellington Dias.

    Quando começam os recadastramentos do Bolsa Família

    De acordo com o ministro, o Governo pretende iniciar o recadastramento no mês de fevereiro. No mês de março, possivelmente vão começar a pagar o adicional de R$ 150 por criança com até 6 anos.

    O cálculo dos 2,5 milhões de inscritos ocorre após o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), ter dito que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu à equipe de transição a exclusão do grupo de famílias do programa Auxílio Brasil, pois haviam sido admitidos irregularmente.

    “Não sabemos quantos estão chegando e quantos estão saindo, é preciso aguardar o recadastramento. Segundo estimativas, teremos mais irregularidades do que novos”, explicou Haddad no mês de dezembro.

    Dias disse ainda, que o ministério já apresentou o plano dos primeiros 100 dias ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “A gente tratou com o presidente [Lula], na época ele aprovou o processo de busca ativa, sendo agora uma parte mais técnica”, disse ele.

    Programa Busca Ativa

    Bolsa Família: Pode-se ter aproximadamente 2,5 milhões de registros fraudulentos

    Imagem: Notícias e Concursos.

    Na quinta-feira (12), o ministro se pronunciou referente ao programa “Busca Ativa“, que atualizará o registro dos beneficiários do programa Bolsa Família. A iniciativa, aprovada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), será implementada em parceria com Estados e Municípios através do repasse de recursos para deixar viável a operação.

    A atualização tem o foco de “trazer quem precisa” para a listagem de beneficiários, afirma Dias. O ministro diz que “são pessoas que têm direito ao Bolsa Família em todas as regiões do país (Brasil), mas estão de fora”.

    Por fim, curtiu esta matéria? Então deixe seu comentário abaixo e compartilhe com seus amigos e familiares.

    0

    Carregando a página, aguarde…