Segurados do Bolsa Família devem formalizar pedido de contestação de seus benefícios. Na última semana, o Ministério da Cidadania informou que estará liberando um prazo de revisão para aqueles que foram cortados da folha de pagamento de extensão do auxílio emergencial. De acordo com o governo, a análise deverá ser requerida até o dia 22 de novembro, podendo autorizar um novo pagamento. 

A extensão do auxílio emergencial já vem sendo concedida para os segurados do Bolsa Família há dois meses. O novo valor de R$ 300 passou a ser pago ainda em setembro, mas excluiu cerca de 50% os inscritos no programa.

O corte ocorreu devido as alterações legais para a liberação do benefício, mas pode ser reavaliado ainda segundo o governo.  

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

Diante da quantidade de denúncias e queixas realizadas contra a administração pública, o Ministério da Cidadania passou a receber pedidos de contestação nessa segunda-feira (02). As revisões poderão ser feitas até o fim do mês, devendo ser solicitadas exclusivamente pelo site da Dataprev. 

“Para realizar o pedido de contestação, não é necessário se dirigir a nenhuma agência da Caixa, lotérica ou posto de atendimento do Cadastro Único. As solicitações devem ser feitas exclusivamente pelo site”, explicou.

Exclusão em massa 

De acordo com números liberados pelo próprio ministério, ao menos 2,8 milhões de pessoas deixaram de receber a extensão de R$ 300 do auxílio emergencial. Todos esses segurados tiveram acesso as cinco primeiras parcelas de R$ 600, mas foram excluídas mediante as alterações legais solicitadas pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Entre as medidas adotadas pelo gestor, a nova liberação de pagamento solicita o extrato do imposto de renda do ano de 2019, não mais de 2018. Além disso, quem já recebe R$ 300 pelo Bolsa Família foi automaticamente desligado tendo em vista que já alcança o novo teto de pagamento. 

Caso a contestação seja aprovada, o ministério da cidadania não informou ainda como fará o reembolso das parcelas de setembro e outubro. 

Ainda de acordo com o cronograma oficial, os depósitos extras com a união dos dois programas deverão ser concedidos até o mês de dezembro, sem previsão de nova extensão. 

Fonte: Eduarda Andrade / fdr.com.br