Pular para o conteúdo

ATENÇÃO: COMUNICADO do BOLSA FAMÍLIA para mães solteiras e famílias com crianças de 0 a 6 anos; Confira

    Bolsa Família é um programa social do governo federal brasileiro cujo objetivo é auxiliar as famílias em situação de vulnerabilidade social. Recentemente, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) anunciou algumas atualizações importantes no programa, especialmente para as famílias com crianças de até 6 anos.

    Neste comunicado, vamos abordar essas mudanças e explicar como elas podem impactar positivamente a vida dessas famílias.

    Valor do benefício pode ultrapassar R$600

    Uma das principais atualizações feitas no Bolsa Família este ano diz respeito ao valor do benefício para famílias com crianças de 0 a 6 anos. Anteriormente, o valor do benefício era de até R$ 450, mas com as mudanças implementadas pelo MDS, esse valor pode ultrapassar os R$ 600.

    Mães solteiras e famílias com crianças de até 6 anos incluídas na lista de pagamentos do Bolsa Família devem receber um acréscimo de R$ 150 no pagamento. Isso significa que, se houver duas crianças nessa faixa etária da primeira infância, o benefício chega a R$ 900.

    Essa atualização é uma forma de reconhecer a importância desse período na vida das crianças e garantir um suporte financeiro adequado para as famílias.

    Outros critérios para calcular o valor do Bolsa Família

    Além do acréscimo de R$ 150 citado anteriormente, o Bolsa Família possui outros critérios para calcular o valor total do benefício. O MDS faz o repasse de mais R$ 50 se houver gestantes na família incluída no programa. Esse adicional, chamado de Benefício Variável Familiar, também é transferido caso tenham pessoas entre 7 e 18 anos no núcleo familiar.

    É importante ressaltar que, mesmo sem os adicionais, o Bolsa Família sempre garante um valor de R$ 142 para cada membro da família beneficiária. Isso significa que, um núcleo composto por 10 pessoas receberia R$ 1420. Essa quantia é fundamental para ajudar as famílias a suprirem suas necessidades básicas e promover uma melhor qualidade de vida.

    Benefício Complementar e valor mínimo do auxílio

    Apesar dos adicionais e do valor garantido por membro da família, o Bolsa Família estabelece um valor mínimo de R$ 600 para o auxílio. Caso o valor calculado conforme os critérios anteriores seja inferior a R$ 600, é concedido o Benefício Complementar para cobrir essa diferença.

    O Benefício Complementar é importante para garantir que as famílias de até 4 pessoas também recebam um auxílio adequado. Dessa forma, o programa busca atender às necessidades de todas as famílias em situação de vulnerabilidade, independentemente do tamanho do núcleo familiar.

    Regras para manutenção no programa

    Para se manter na lista de pagamentos do Bolsa Família, as famílias devem cumprir algumas regras estabelecidas pelo MDS. Uma delas é a atualização do Cadastro Único (CadÚnico), que deve ser feita a cada dois anos ou quando solicitado pelo MDS.

    Além da atualização do CadÚnico, existem outros critérios que devem ser seguidos pelas famílias beneficiárias. O primeiro deles é a renda per capita, que deve ser de até R$ 660 para pessoas que conseguiram emprego e se mantiveram na regra de proteção, recebendo assim metade do valor do Bolsa Família. Para as demais famílias, o valor máximo da renda per capita é de R$ 218.

    Em relação à saúde, é necessário que todos os membros da família estejam vacinados. Além disso, crianças de até 7 anos devem ser levadas para o acompanhamento nutricional e gestantes precisam fazer o pré-natal.

    Quanto à educação, é exigido que as crianças de até 5 anos frequentem pelo menos 60% de suas aulas. Já os estudantes entre 7 e 18 anos devem ter uma frequência mínima de 75% para continuar recebendo o benefício.

    Ademais, o Bolsa Família é um programa social fundamental para auxiliar as famílias brasileiras em situação de vulnerabilidade social. Com as atualizações realizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social, as famílias com crianças de até 6 anos podem receber um valor maior no benefício, garantindo um suporte financeiro adequado nessa fase tão importante da vida das crianças.

    É importante ressaltar que o programa possui critérios específicos para calcular o valor do benefício, considerando a presença de gestantes e de crianças e adolescentes no núcleo familiar. Além disso, existem regras que devem ser seguidas pelas famílias beneficiárias para se manterem no programa.

    O Bolsa Família desempenha um papel essencial na redução da desigualdade social e na promoção do bem-estar das famílias brasileiras. Com as atualizações implementadas, espera-se que mais famílias sejam beneficiadas e tenham a oportunidade de melhorar suas condições de vida. Para mais informações sobre o programa, consulte o site oficial do Bolsa Família.

     

    Fonte: