O governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) está tentando amenizar o impacto do aumento da inflação, que tem feito a população, sobretudo a mais pobre, perder vertiginosamente o seu poder de compra, visto que os produtos não param de ficar mais caros.

De acordo com a jornalista Julia Dualibi, da “Globo News”, um dos planos emergenciais do governo federal é aumentar o valor do Auxílio Brasil, benefício que surgiu no ano passado e substituiu o Bolsa Família.

Segundo a comunicadora, a ideia é fazer com que o benefício distribuído passe dos atuais R$ 400 e vá para R$ 600. Não suficiente, e ainda conforme a jornalista, o governo também tenta fazer com que o vale-gás, que hoje paga R$ 53 a cada dois meses para os beneficiários, passe a ser distribuído todos os meses.

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

Tanto o aumento do Auxílio Brasil quanto do vale-gás devem ser incluídos na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê uma compensação de R$ 29,6 bilhões para estados que zerarem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviço (ICMS) sobre combustíveis.

De acordo com Julia Dualibi, a ideia do governo é usar a compensação dos estados que não aderirem à PEC para ampliar os benefícios sociais, o que pode, inclusive, ter um impacto eleitoral maior para Bolsonaro.

“A medida visa amenizar os efeitos da alta dos combustíveis no poder de compra dos brasileiros – e as consequências eleitorais deste cenário de inflação”, afirmou a comunicadora.

Por fim, Julia Dualibi ainda lembra que os planos do governo de aumentar os benefícios sociais vieram à tona no mesmo dia em que é prevista a publicação da pesquisa atualizada do Datafolha referente às intenções de voto nas eleições presidenciais.

A tendência é que Bolsonaro permaneça distante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que liderava a pesquisa anterior com 21 pontos de vantagem.

Fonte: brasil123.com.br