Sabemos que as fintechs surgiram com a proposta de facilitar os processos e eliminar as burocracias existentes nos grandes Bancos tradicionais. Entretanto, em alguns casos, acabam facilitando até demais. É o que os usuários do PicPay estão relatando: a carteira digital, ao fazer a intermediação entre seus clientes e financeiras para empréstimos, tem deixado de lado algumas confirmações e processos de segurança. Com isso, alguns clientes acabaram sendo surpreendidos por operações feitas sem a própria autorização. As quantias pré-aprovadas, além de altas, não possuem verificações de segurança suficientes para prosseguir com a operação. Abaixo, saiba mais sobre.

Facilidade de Empréstimo

Para fazer a solicitação de empréstimo utilizando um celular Android, os procedimentos são padrões. Assim, é pedido o ‘Reconhecimento Facial’ do proprietário da conta e também, o envio de documentos (RG ou CNH). Ao trocar de aparelho para um iPhone, a plataforma não pede nada além da senha de confirmação para simular um segundo empréstimo.

Além disso, usuários relatam também que o e-mail para confirmação da operação demora a chegar. Este e-mail poderia ser utilizado pelo usuário para identificar uma transação indevida, dando a ele a possibilidade de tomar as devidas providências da maneira mais rápido possível. Um outro recurso que facilita o processo de roubo é o limite disponível para PIX. Isso porque, o limite padrão para Pix costuma ser bem alto (R$ 10 mil), possibilitando que os ladrões façam empréstimos no nome da vítima e transfiram o dinheiro para contas de terceiros.

PicPay – Nota

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

Em nota, a Empresa defende que segurança é uma de suas prioridades. Além de serem regulamentados pelo Banco Central, o PicPay diz seguir todas as determinações dos protocolos de segurança de dados. A Empresa reforça ainda que o empréstimo pessoal é oferecido apenas a contas validadas. E, durante a contratação, é exigido o duplo fator de autenticação pelos mecanismos de senha, reconhecimento facial ou documentação. Com isso, somente após a certificação de que os dados são verdadeiros, é depositado o dinheiro.

O PicPay ressalta ainda que investe constantemente no aprimoramento de seu sistemas de segurança e proteção de dados para preservar as informações dos seus clientes. Para casos em que há suspeita de uso indevido, a companhia realiza uma análise detalhada para responder da forma mais ágil possível para garantir a melhor e mais segura experiência aos seus milhões de usuários.

Não conhece o PicPay? Baixe-o em: www.picpay.com/site (Android e iOS).