Foi publicada pelo Governo Federal a Medida Provisória (MP) 1.084 que destina R$ 4,1 bilhões ao Ministério da Cidadania para os novos pagamentos do Auxílio Emergencial para os pais solteiros.

Isso só foi possível após o Congresso Nacional derrubar o veto do presidente da república, Jair Bolsonaro, que impedia os homens que sustentam os filhos sozinhos sem ajuda de uma cônjuge ou companheira(o) de receberam as cotas duplas do programa.

Neste sentido, a iniciativa repassará o benefício complementar de forma retroativa aos pais solteiros de direito. Serão consideradas as primeiras cinco parcelas do Auxílio Emergencial no valor de R$ 600. Desta forma, os cidadãos terão direito a uma parcela única de R$ 3 mil.

Baixe nosso aplicativo. Clique na imagem abaixo ⤵

Vale ressaltar que o programa foi encerrado definitivamente em outubro deste ano, com os depósitos da 7ª parcela. Hoje, parte dos beneficiários do programa estão recebendo o benefício do Auxílio Brasil, que tem como mensalidade média o valor de R$ 400.

Como consultar o novo benefício

As consultas podem ser realizadas pelo aplicativo ou pelo site oficial do Auxílio Emergencial. Na ocasião, será necessário informar o número do CPF, nome completo, data de nascimento e o nome completo da mãe.

Em suma, para ter direito ao benefício, o cidadão precisa estar desempregado e ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa da família (R$ 550) ou de até três mínimos para a toda a família (R$ 3.300).

Pagamentos anteriores

Em 2020, as mães solteiras tiveram direito a um benefício de R$ 1.200, conforme as primeiras cinco parcelas do programa no valor de R$ 600. Na sequência, a cota dupla foi reduzida para R$ 600, referente as parcelas no valor de R$ 300.

Mais tarde, em 2021, o Governo Federal distribuiu parcelas para este público no valor de R$ 375. Na ocasião, os recursos totalizaram R$ 2.625.

Fonte: noticiasconcursos.com.br